Seja Bem Vindo ao Maior Portal de Estudos do Preterismo Completo do Brasil Para a Glória de Deus!

Postados até aqui...

Loading...

Translate

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A Segunda vinda de Jesus no livro de Mateus, Parte 2

                                                                            
                                        Mateus 10:23, 16:27-28


“Quando, pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem. Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras. Em verdade vos digo que alguns há dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino.”


Estamos olhando para o que Mateus tem a nos dizer sobre o momento da segunda vinda de Cristo. Vimos em nosso último estudo que João Batista veio como um profeta de Deus depois de 400 anos de silêncio. A mensagem de João para o primeiro século de Israel foi de julgamento:
Mateus 3:7 (NVI) Mas, vendo ele muito dos fariseus e saduceus que vinham ao seu batismo, disse-lhes: "Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura?
A mensagem de João foi para Israel no primeiro século, ele foi avisá-los que logo viria o julgamento. Esta decisão foi, de fato, a segunda vinda de Cristo.
O versículo seguinte nos dá um indicador de tempo é encontrado em Mateus 10. Aqui Cristo diz que Ele estava para vir no tempo de vida de seus discípulos:
Mateus 10:23 “Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem”.
Para entender este versículo, a primeira coisa que temos de saber é a quem é que Jesus está falando? As pessoas de sua época ou a pessoas desta presente era? Vejamos o contexto:
Mateus 10:1-7 “E, CHAMANDO os seus doze discípulos, deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal.Ora, os nomes dos doze apóstolos são estes: O primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão; Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Lebeu, apelidado Tadeu; Simão o Zelote, e Judas Iscariotes, aquele que o traiu. Jesus enviou estes doze, e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho dos gentios, nem entrareis em cidade de samaritanos; Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel; E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus”.
Agora, há alguma dúvida a respeito de quem Jesus estava falando até agora? Ele chama os doze e dá-lhes poder. Ele “ordenou-lhes, dizendo":
Mateus 10:8-16 “Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos, Nem alforjes para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordão; porque digno é o operário do seu alimento. E, em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nela seja digno, e hospedai-vos aí, até que vos retireis. E, quando entrardes nalguma casa, saudai-a; E, se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz. E, se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó dos vossos pés. Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade.Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudente como as serpentes e inofensivos como as pombas”.
Quem é Jesus envio como ovelhas no meio de lobos? Os doze!
Seguindo o contexto lemos então Mateus 10:23 “Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem”.
Falando do versículo 23, um comentarista escreve: "Este versículo não tem a ver com os crentes de hoje. Refere-se ao ministério apostólico, uma vez que será realizada durante a Grande Tribulação, quando a nação de Israel for submetida à intensa perseguição e sofrimento. Esses versos não têm nada a ver com hoje. Eles estão relacionados aos crentes que fogem de um lugar para outro sob intensa perseguição, sendo capturados e levados diante de reis”.
Ele está certo quando diz: "Este versículo não tem a ver com os crentes de hoje." O problema é que ele não vê-lo como aplicação para os crentes do primeiro século, mas a uma geração ainda no futuro.
Se Jesus estava falando com os doze e relata que alguns daquela geração não veriam a morte antes que vissem o reino de Deus, é possível que exista alguém daquele tempo ainda em vida?
Isso parece tão claro e simples para mim, então por que tantos cristãos perder esse raciocínio? Acho que todos vocês estão conscientes de que nossos paradigmas podem nos cegar de ver certas verdades. Se, no seu paradigma escatológico, você verá a segunda vinda de Cristo como o fim do mundo físico, um fato cataclísmico, a terra queimando, a destruição total da vida como a conhecemos hoje, você certamente vai ficar muito confuso com o que Jesus está dizendo aqui.
O problema está justamente em compreender o conceito judaico da parousia. A palavra significava: "chegada ou presença", e não voltarão. Não se referi a qualquer retorno futuro de Cristo. Para os discípulos, a "parousia" do filho do homem significava a plena manifestação de Sua messianidade, a sua vinda gloriosa em poder. William Barclay diz que parousia, "é a palavra regular para a chegada de um governador em sua província ou para a vinda de um rei para seus súditos. Regularmente Ela descreve uma vinda em autoridade e no poder".

Os próximos versos que chegamos aos que nos dizem sobre quando ocorreria à segunda vinda são encontradas em:
Mateus 16:27-28 "Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai com seus anjos, e então retribuirá a cada um segundo as suas obras. 28" Em verdade vos digo que, há alguns pé aqui que não provarão a morte até que vejam o Filho do homem vindo em seu reino. "
A Quem é que Jesus está falando aqui?
Mateus 16:24-26 (NVI) Então disse Jesus aos seus discípulos: "Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. 25" Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la, mas quem perder a sua vida por minha causa a encontrará. 26 "Para que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?
Os ouvintes “de Jesus, nos versículos 27 e 28, são Seus discípulos”. Note a referência “de tempo:”. ... Há alguns aqui que não provarão a morte até que vejam o Filho do homem vindo em seu reino “Qual é a referência de tempo? É durante a vida daqueles a quem Cristo estava falando.
John MacArthur escreve: "Esse versículo pode levar você a acreditar que em algum lugar deste mundo são alguns homens muito velhos! O que Cristo quer dizer? Creio que Cristo estava dizendo e que pode ser traduzido," Alguns de vocês que estão aqui verão o Filho do Homem vindo em Sua majestade real antes de morrer.“ É isso o que Cristo disse? NÃO! O que ele disse foi:
Mateus 16:27 (NVI) "Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai com seus anjos, e então retribuirá a cada um segundo as suas obras.
Ele disse que estava vindo na glória de seu Pai com seus anjos para recompensar cada um segundo suas obras - trazendo julgamento.
John Mac Arthur vê isso como uma referência para a transfiguração. Ele escreve: "Infelizmente uma pausa no capítulo foi feita pelos tradutores em um ponto onde é importante seguir o fluxo do texto. Essa mesma promessa em Mateus 16:28 também aparece em Marcos e Lucas. Em todos os três casos, é imediatamente seguido pelo mesmo incidente, mas em Marcos (9:1-13) e Lucas (9:27 - 36), não é seguido por uma pausa no capítulo O que o Senhor estava se referindo, em Mateus 16:28 é interpretada pelo evento que se segue. Três dos discípulos estavam prestes a ter uma exibição privada da glória de Cristo.”
A Bíblia de Estudo NVI é favorável a esta idéia: "É uma previsão da transfiguração, que aconteceu uma semana depois (17:1), e que demonstrou que Jesus retornará na glória de seu Pai (16:27) O contexto parece favorecer. [este] ponto de vista.”
A transfiguração teve lugar cerca de uma semana depois de Cristo pronunciou estas palavras. Mas Cristo não disse que todos os seus ouvintes ainda estariam vivos, ou que mesmo a maioria deles estariam. Para usar essa linguagem para falar de um evento apenas uma semana de distância, seria obviamente um exagero, para dizer o mínimo. Toda a razão para usar uma frase como "alguns de vocês que aqui se encontram não deve provar a morte" seria a de indicar que o evento em questão iria acontecer antes que todos morrerem! Dizer que alguns deles estariam vivos em uma semana é um pouco ridículo. Não haveria razão para dizer tal coisa. E o fato de que a palavra para "alguns" foi usado para indicar a idéia de que alguns, mesmo muitos, dos presentes, de fato, não teriam provado da morte. O que significa simplesmente que muitos deles de fato não morreriam antes que o evento ocorresse. Por sua própria natureza, a linguagem empregada por Cristo invalida essa possibilidade.
Também é altamente questionável que a transfiguração foi de alguma forma a vinda de Cristo na glória de seu Pai, com os seus anjos, no Seu reino especialmente à luz de Lucas 21:31, que afirma que o Reino de Deus não chegaria antes da Grande Tribulação:
Lucas 21:31 (NVI) "Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está próximo.
Isso não pode estar se referindo à transfiguração, pois o versículo diz que seria um momento em que cada homem seria recompensado por suas obras. Que não pode referir-se a transfiguração ou Pentecostes, mas se refere a sua segunda vinda, como pode ser visto a partir de:
Apocalipse 22:12 (NVI) "E eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.
Compare isso com:
Mateus 16:27 (NVI) "Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai com seus anjos, e então retribuirá a cada um segundo as suas obras.
Observe também que no tempo de vida dos discípulos a quem Jesus estava falando, ele ia "... recompensar cada um segundo as suas obras Quando isso aconteceu justamente na segunda vinda!
Mateus 25:31-34 (NVI) "Quando o Filho do Homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória. 32" Todas as nações serão reunidas diante dele, e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33 "E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda. 34" Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: 'Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo:
Isso soa muito parecido com Mateus 16:27! O Reino em si foi à jóia da coroa, aonde veio à Nova Jerusalém em plenitude com o passar dos tempos antigos judaico. O tempo de transição do Novo Testamento entre a ressurreição de Cristo ea queda de Jerusalém, quando a nova aliança foi introduzida, e a Velha aliança foi consumado; e o Reino chegou ao de uma vez por todas, graças à obra redentora de Cristo.
Os justos foram recompensados e os maus foram julgados:
Mateus 25:41 (NVI) "Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda:" Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Ao longo do evangelho de Mateus, Jesus continuamente advertiu os judeus de seu julgamento vindouro, por causa de sua apostasia. Eu acredito que a maioria, senão todos, de acordo com as parábolas de Jesus com relação ao Reino de Deus ou a destruição de Jerusalém, por causa de sua rejeição desse Reino:
Mateus 21:43 "Portanto eu vos digo, o reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que ostenta a seus frutos.
Mateus 22:7 "Mas quando o rei ouviu sobre isso, ele ficou furioso. E ele enviou os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade.
Jesus continua a avisá-los de um julgamento vindouro, por causa de sua rejeição ao Messias. É claro que a referência aqui é a destruição de Jerusalém em 70 dC:
Mateus 23:37-39 (NVI) "Ó Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes quis eu reunir os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, mas vós não o quisestes! 38 "Eis que a vossa casa vai ficar-vos deserta;
Por "casa", ele estava se referindo a Jerusalém, e, certamente, o templo foi incluído. A palavra "desolada" é a palavra grega “eremos”, significa: "resíduos, deserto, desolado, solitário, ou deserto". A cidade e o templo foram destruídos no ano 70 dC.
Os discípulos sabiam que Sua parousia seria no seu tempo de vida, e eles procuraram, e esperavam. Mesmo depois de sua ressurreição, perguntaram-lhe sobre o reino restaurado:
Atos 1:6-7 (NVI) Portanto, quando eles estavam reunidos lhe perguntaram, dizendo: "Senhor, tu neste tempo que restauras o reino a Israel?" 7 E disse-lhes: "Não é para você conhecer tempos ou épocas que o Pai tem colocado em sua própria autoridade.
Eles não entenderam que Cristo se sentaria no seu trono por meio de Sua ressurreição e ascensão:
Atos 2:29-33 (NVI) "Homens e irmãos, deixe-me falar livremente a vocês do patriarca Davi, que ele está morto e enterrado, e o seu túmulo está conosco até hoje. 30" Portanto, sendo um profeta , e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento a ele que do fruto de seu corpo, segundo a carne, levantaria o Cristo para se sentar no seu trono, 31”, ele, prevendo isso, falou a respeito da ressurreição do Cristo, para que sua alma não focasse deixada no Hades, nem a sua carne viu a corrupção. 32 "este Jesus Deus ressuscitou, do que todos nós somos testemunhas. 33 "Exaltado, pois, à direita de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis.”
Cristo está estava até então reinando a destra do Pai, e a manifestação do reino viria quando Cristo voltasse em julgamento sobre Jerusalém:
Atos 2:34-35 (NVI) "Porque Davi não subiu aos céus, mas ele próprio diz: Disse o Senhor ao meu Senhor:". Assenta-te à minha direita, 35 até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de Seus pés "'
Agora, você pode perguntar: "Por que os discípulos conectaram a destruição do templo com a parousia de Cristo?" Os discípulos conheciam o Antigo Testamento, e eles sabiam que a destruição de Jerusalém seria inaugural ao reino do Messias:
Zacarias 14:1-5 (NVI) Eis que o dia do Senhor está chegando, E o vosso despojo será dividido em seu meio. 2 Pois eu ajuntarei todas as nações para a batalha contra Jerusalém, a cidade será tomada, as casas serão saqueadas, e as mulheres violadas. Metade da cidade irá para o cativeiro, mas o resto do povo não será extirpado da cidade. 3 Então o Senhor sairá e pelejará contra estas nações, como pelejou no dia da batalha. 4 E naquele dia estarão os seus pés no Monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente. E o Monte das Oliveiras será dividido em dois, De leste a oeste, fazendo um vale muito grande; Metade do monte se moverá para o norte e a outra metade para o sul. 5 Então vocês devem fugir através do meu vale da montanha, Pelo vale da montanha chegará até Azel. Sim, fugireis como fugistes do terremoto nos dias de Uzias, rei de Judá. Assim o Senhor meu Deus virá, e todos os santos contigo.
No dia do Senhor, Jerusalém é destruída e o Senhor viria com os seus santos. Além disso, procure em:
Daniel 9:26 (NVI) "E depois das 62 semana o Messias será cortado, mas não para si mesmo, E o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário O fim será com um dilúvio, e até o final da guerra as desolações são determinadas.
Os discípulos acreditavam que a vinda do Messias seria simultânea com a destruição da cidade e do templo.
Depois de pronunciar julgamento sobre a nação de Israel no final de Mateus 23, Jesus e seus discípulos deixar o templo. Como eles estão saindo do templo, Jesus diz aos discípulos que o templo deve ser totalmente destruído;
Mateus 24:1-3 (NVI) Então Jesus saiu e se afastava do templo, e seus discípulos aproximaram-se para Lhe mostrar as construções do templo. 2 E Jesus disse-lhes: "Você não vê todas estas coisas? Em verdade vos digo a vocês, nem uma pedra ficará aqui em cima das outros, que não seja derribada."
Em resposta a isto, os discípulos perguntam:
Mateus 24:3 (NVI) Agora, como Ele se sentou no Monte das Oliveiras, os discípulos aproximaram-se-lhe em particular, dizendo: "Dize-nos quando sucederão estas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim da idade?”
Estas não são questões separadas que podem ser divididas em diferentes eventos de tempo. Os discípulos tinham uma só coisa, um só evento em suas mentes e que foi a destruição do templo. Com a destruição do templo, eles ligaram a vinda do Messias, e ao final da época:
Mateus 16:27-28 (NVI) "Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai com seus anjos, e então retribuirá a cada um segundo as suas obras. 28" Em verdade vos digo que, há alguns em pé aqui que não provarão a morte até que vejam o Filho do homem vindo em seu reino. "
Se você acredita que a Bíblia é a Palavra inspirada e inerrante do Deus Vivo, então esta passagem dá uma clara prova de realizada ou quando foi determinada a sua realização. Ou Cristo cumpriu esta passagem, e sua vinda já tenha ocorrido, ou então alguns dos que estavam na audiência em Mateus 16:27-28 ainda estão vivos.


Por David B. Curtis
Tradução: Pr. Erivelto Soares


Soli Deo Gloria

Nenhum comentário:

Seguir por e-mail

Comentários recentes