Seja Bem Vindo ao Maior Portal de Estudos do Preterismo Completo do Brasil Para a Glória de Deus!

Postados até aqui...

Loading...

PRECISAMOS DE SUA AJUDA!

Amigo e irmãos seguidores desse Blog. Em vista de alcançar um número maior de pessoas interessadas em aprender o Preterismo Completo vimos que o nosso equipamento de captação de vídeo tem deixado muito a desejar em termos de qualidade e acreditamos que uma capitação de mais nitidez ajudaria e muito nesse trabalho. Logo; estamos solicitando uma doação de um equipamento dessa natureza: Uma Filmadora, Uma Web Cam de qualidade, Um celular de boa resolução pra filmagem...Em fim, não é necessário que seja nova! Estando em bom estado é que importa. Não estamos tratando de quantia em dinheiro certo? Por tanto; quem tiver um desses equipamentos e sentir o desejo de doa entre em contato no privado e não se preocupe com os encargos de envio. Dês de já agradecemos a atenção dispensada e um abraço. escatologiaplena@hotmail.com

Translate

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Zacarias 14 e a vinda de Cristo



 Por Gary DeMar  Presidente - American Vision
 




Na visão pré-milenista da profecia bíblica, os eventos descritos em Zacarias 14 são mais frequentemente interpretado como representando a segunda vinda de Cristo, quando Jesus descerá dos céus, sobre o Monte das Oliveiras e de lá estabelecer Seu reino milenar. A cronologia descrito em Zacarias, no entanto, não se encaixa neste cenário. Os Eventos começam no capítulo treze, onde está profetizado que o Pastor, Jesus, seria golpeado e as ovelhas seriam espalhadas (Zc 13:. 7). Isto teve seu cumprimento quando Jesus estava para ser traído ele disse: "Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão.”(Marcos 14:27). 


O texto se segue descrevendo os acontecimentos desse evento, inclusive, à destruição de Jerusalém no ano 70 d.C Deus atuaria como juiz em julgamento de Jerusalém e seus habitantes. Como o rei, ele enviaria "os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiaria a sua cidade." (Mt 22:. 7). 


Porque eu ajuntarei todas as nações [os exércitos romanos] a peleja contra Jerusalém, e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas [Mt. 24:17], as mulheres forçadas [Lucas 17:35], e metade da cidade exilado [Mt. 24:16], mas o resto do povo não será exterminado da cidade "(Zc 14:. 2).


Isso aconteceu quando os exércitos romanos, constituídos de soldados de todas as nações foram para a guerra contra Jerusalém. Roma era um império constituído por todas as nações conhecidas do mundo (Lc 2:1). O Império Romano "estendia cerca de duas mil milhas da Escócia para o sul da cabeceira do Nilo e cerca de três mil quilômetros das Colunas de Hércules para o leste da Pérsia. Seus cidadãos e os povos subjugados numeravam talvez oitenta milhões." 1 Roma foi levantado como a Assíria, para ser a "vara de [Sua] ira" (Isaías 10: 5). "Então, completamente devem ser tomadas a cidade que o inimigo deve sentar-se no meio dela para dividir os despojos. Todas as nações (2), de um modo geral foram representadas no exército invasor, pois Roma era a dona de muitas terras." segundo Thomas Scott, usando referências justificativas de comentaristas antigos e referências cruzadas a outros livros bíblicos, escreve que Zacarias está descrevendo os acontecimentos que envolveram a destruição de Jerusalém em 70 d.C.


O tempo em que os romanos marcharam com seu exército, composto de muitas nações, para sitiar Jerusalém, foi "o dia do Senhor" Jesus, em que ele veio para "destruir aqueles que não quiseram que ele reinasse sobre eles" [Mt. 22:10; 24: 3, 23:35; Lucas 19: 11-27, 41-44]. Quando os romanos tinham tomado à cidade, todos os atentados foram cometidos, e as misérias despejadas, que estão aqui previsto [Lucas 21: 20-24]. Uma grande porção dos habitantes foi destruída, outros levados cativos e vendidos como escravos; e multidões foram expulsos e perseguidos por vários perigos e misérias: também um grande número tendo sido convertido ao cristianismo, tornou-se cidadãos da "Jerusalém celeste" e, portanto, "não foram destruídos com a cidade" de Deus [Gl 4, 21-31; Heb.12: 22-25] 3.

Forçar essa série de julgamento descritiva para pular sobre as realidades históricas da destruição de Jerusalém em 70 d.C., de modo a caber em um cenário futuro de julgamento é artificialmente  desnecessário.

Então o Senhor sairá, e pelejará contra estas nações, como quando ele luta em um dia de batalha (Zc 14: 3). 


Depois de usar Roma como Sua vara para ferir Jerusalém, Deus transforma Roma como objeto de seu juízo. Mais uma vez, a Assíria é o modelo:... "Eu enviá-lo contra uma nação ímpia e encomendá-lo contra o povo do meu furor, para capturar saque e aproveitar pilhagem, e os esmaguei para baixo como a lama das ruas para que ele irá ser que, quando o Senhor completou toda a Sua obra no monte Sião e em Jerusalém, Ele vai e diz: "Eu castigarei o fruto da arrogante coração do rei da Assíria e a pompa da sua arrogância" (Is 10:5-6,12-13). "É significativo que o declínio das datas do Império Romano é a partir da queda de Jerusalém." 4 Thomas Scott concorda: "Também é observável, que os romanos, depois de ter sido feito assim os carrascos da vingança divina sobre a nação judaica, nunca prosperou como haviam feito antes, mas o Senhor evidentemente lutou contra eles, e todas as nações que compunham seu império impetuoso;. Até que finalmente ele foi subvertido, e suas cidades mais justas e províncias foram devastadas por invasores bárbaros "5 


E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está na frente de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será dividido em seu meio de leste a oeste por um vale muito grande, de modo que metade do monte se removerá para o norte, e a outra metade para o sul (Zc 14:4). 


É esta passagem que os dispensacionalistas usam para apoiar sua visão de que Jesus irá pousar no planeta terra e estabelecer Seu reino milenar. Inúmeras vezes na Bíblia lemos de Jeová "descendo" para se encontrar com o Seu povo. Na maioria dos casos Sua vinda é de julgamento; Em nenhum caso foi Ele fisicamente presente. Observe quantas vezes à vinda de Deus é associado com montanhas. 


"E o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que os filhos dos homens edificavam Vinde, desçamos e confundamos ali a sua língua, para que não entenda um a língua do outro..." (Gênesis 11: 5,7). 


"Então, eu desci para livrá-los do poder dos egípcios, e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel (Ex 3: 8) 


"Então tu chegaste para baixo no monte Sinai, e te falo com eles do céu (Ne 9.: 13a)....

"Abaixa, ó Senhor, os teus céus, e desce; toca os montes, e fumegarão." (Salmo 144: 5).

"Porque assim diz o SENHOR a mim, 'Como o leão ou o jovem leão ruge sobre a sua presa, contra a qual um grupo de pastores é chamado para fora, não será aterrorizado com a sua voz, nem perturbado com seu ruído, assim o Senhor dos exércitos descerá, para fazer a guerra no monte Sião e em sua colina '"(Isaías 31:. 4). 


"Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes se escoassem de diante da tua face," (Isaías 64:1).

"Quando fazias coisas terríveis, que nunca esperávamos, descias, e os montes se escoavam diante da tua face." (Isaías 64:3). 


Em Miquéias 1: 3 somos informados de que Deus "está chegando saiu do seu lugar" para "descer e pisar os altos da terra." Como essa linguagem descritiva é diferente da qual o Senhor disse que estava no Monte das Oliveiras com o resultado de dividi-la? Miquéias diz que "as montanhas se derreterão debaixo dele, e os vales serão divididos, como a cera diante do fogo, como água derramada por um declive" (1: 4). "Não era incomum para os profetas usassem expressões figurativas sobre a decida do Senhor sobre o Monte: Temos montes em tremor, montes sendo espalhados, e os montes se esmiuçando (Hab 3:6,10).;Montanhas fluindo para baixo de sua presença (Isaías 64:1,3); ou montanhas e colinas que cantam e as árvores aplaudem com suas mãos (Isaías 55:12)". 6


O que é a Bíblia está tentando nos ensinar com esta linguagem descritiva do Monte das Oliveiras "dividido em seu meio"? Os primeiros escritores cristãos aplica  Zacarias 14: 4 a obra de Cristo no seu dia. Tertuliano (A.D 145-220) escreveu: "Mas à noite ele foi para o Monte das Oliveiras." Porque assim Zacarias destacou: "E estarão os seus pés, naquele dia, no Monte das Oliveiras" [Zc xiv 4.] ". 7 Tertuliano estava se referindo ao fato de que a profecia do monte das oliveiras iria definir o cenário para o julgamento de Cristo que uma vez por todas quebraria a divisão / Gentios e judeus. Matthew Henry explica a teologia por trás da profecia: 


A parede divisória entre judeus e gentios seria tirado. Entre os gentios e Jerusalém essa montanha da divisão estava de pé, Cant. ii. 17 Mas, pela destruição de Jerusalém esta montanha foi desfeita, fendido pelo meio, e por isso o sistema judaico foi anulado e a igreja gentílica unida pela quebra deste muro de separação, Ef. ii. 14 8 


Você vai notar que não há nenhuma menção de um reino de mil anos. No entanto, somos informados de que "o Senhor será rei sobre toda a terra" (14: 9). Então, o que há de novo sobre essa linguagem? "Porque o Senhor Altíssimo é para ser temido, e Rei grande sobre toda a terra Ele nos sujeitou povos e nações sob os nossos pés." (Salmo 47: 2,3). Este é exatamente o que aconteceu com a destruição de Jerusalém no ano 70 d.C Paulo disse aos cristãos de Roma que "o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés" (Rom. 16:20). Adversário da igreja (Satanás) foi o imperador Nero que persegui  Sua Noiva, a Igreja (cf. Jo 16, 2). 





NOTAS 


1. Otto Friedrich, O Fim do Mundo: A History (New York: Coward, McCann e Geoghegan, 1982), 28.

2. GNM Collins, "Zacarias", O Novo Comentário Bíblico, F. Davidson, ed., 2 ª ed. (Grand Rapids, MI: Eerdmans, 1954), 761.

3. Thomas Scott, A Bíblia Sagrada, contendo o Velho eo Novo Testamento, de acordo com a Versão Autorizada; com notas explicativas, observações práticas e referências marginais abundante, 3 vols. (New York: Collins e Hannay, 1832), 2: 955 


4. Collins, "Zacarias", 761. 


5. Scott, A Bíblia Sagrada, etc, 956. 


6. Ralph Woodrow, a Verdade está em marcha: Estudos Avançados em Profecia na Luz de História (Riverside, CA: Ralph Woodrow Associação Evangelística de 1977), 110. 


7 "Tertuliano contra Marcião," Livro 4, capítulo XL, em Os Padres Ante-Nicéia, 3: 417. 

8 Matthew Henry, o comentário de Matthew Henry sobre a Bíblia inteira, 6 vols. (New York: Fleming H. Revell, nd), 4: 1468

Seguir por e-mail

Comentários recentes