Seja Bem Vindo ao Maior Portal de Estudos do Preterismo Completo do Brasil Para a Glória de Deus!

Postados até aqui...

Loading...

PRECISAMOS DE SUA AJUDA!

Amigo e irmãos seguidores desse Blog. Em vista de alcançar um número maior de pessoas interessadas em aprender o Preterismo Completo vimos que o nosso equipamento de captação de vídeo tem deixado muito a desejar em termos de qualidade e acreditamos que uma capitação de mais nitidez ajudaria e muito nesse trabalho. Logo; estamos solicitando uma doação de um equipamento dessa natureza: Uma Filmadora, Uma Web Cam de qualidade, Um celular de boa resolução pra filmagem...Em fim, não é necessário que seja nova! Estando em bom estado é que importa. Não estamos tratando de quantia em dinheiro certo? Por tanto; quem tiver um desses equipamentos e sentir o desejo de doa entre em contato no privado e não se preocupe com os encargos de envio. Dês de já agradecemos a atenção dispensada e um abraço. escatologiaplena@hotmail.com

Translate

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Cronologia Preterista da Grande Tribulação


Por Doug Beaumont 


Existem paralelos surpreendentes entre os escritos de Daniel, João e Mateus com respeito à Grande Tribulação e os eventos que a rodeiam. Quando apresentados em um gráfico, parece claro que eles estão falando sobre as mesmas coisas. Quando combinado com as muitas declarações relacionadas ao tempo em cada um, torna-se evidente que esses eventos estavam prestes a ocorrer no tempo dos discípulos e não 2.000 anos depois. Considere o seguinte:

O Livro Selado - Coincidência ???
Partindo das palavras de Jesus no Discurso Apocalíptico (Mt 24, Lc 21, Mc 13), podemos ver que os eventos mencionados referem-se aos mesmos eventos de Daniel . Uma vez que tenhamos cuidadosamente estabelecido a ordem desses eventos no Discurso de Apocalíptico, também podemos ver que eles muito estão em paralelo as palavras de Jesus em Apocalipse 6. O que é interessante é que no final de Daniel, onde ele pergunta sobre a Grande Tribulação Dan. 12: 1,6), ele é contado para selar seu livro (12: 4,9), porque diz respeito a eventos no tempo do fim.
Note que em Apocalipse 6  temos um desprendimento de um rolo! Poderia ser este o mesmo pergaminho selado nos dias de Daniel? Agora, se Daniel estava escrevendo sobre a Grande Tribulação (durante o tempo do fim), e Jesus identifica eles com os eventos do Discurso apocalíptico (no final dos tempos) em paralelos com os dizeres do Livro de Apocalipse 6 - eles não devem está se referindo a mesma história? Como vemos; sim! Eles fazem.

Em breve
Se estas coisas são assim, o que significa quando João é dito essas coisas estão prestes a acontecer (Apoc. 1: 1 e 22:10, 22)? Note-se que João é censurado polo anjo no versículo 22 que ele NÃO deveria selar o livro (pois o tempo estava próximo). Este é exatamente o oposto da admoestação de Daniel para selar seu livro (para o tempo era aparentemente ainda longe no futuro). Considere isto: João escreveu Apocalipse no século I d.C. Se Daniel escreveu por volta de 550 a.C (quando "o fim" ainda estava longe), e João escreveu sobre os mesmos eventos menos de 600 anos depois de Daniel (quando "o tempo" estava Perto), como poderíamos ainda estar procurando um cumprimento para Daniel 2000 anos mais tarde?

O Fim - de quê?
Daniel foi especificamente dito que "o fim" viria quando o "poder do povo santo [os judeus]" fosse quebrado (Dan 12:7). O poder dos judeus foi quebrado em 70 d.C. Na destruição do templo e da cidade de Jerusalém. . . E foi esta própria destruição de que Jesus estava falando no Discurso apocalíptico em (Mt.23: 38-24: 4).
Mateus registra que Jesus disse que o fim viria depois que o Evangelho tivesse sido pregado em todo o mundo. Parece que isso não poderia ter acontecido em 70 d.C Mas, como Paulo mostra em Colossenses 1: 5-6, 23 e Romanos 10:18 de fato ele tinha sido sim pregado no mundo inteiro ( "o mundo" era sinônimo  do Império Romano - ver Atos 11:28, 17: 6).
"O Fim" era o fim da Velha Aliança. Os "tempos finais" (ou "últimos dias") foram o período de transição que durou cerca de 40 anos, começando desde o tempo de Cristo e estendendo a uma geração (Mt 24:34) até 70 d.C Assim como a Antiga Aliança foi estabelecida após um 40 anos tempo de transição (do Egito para a Terra Prometida), assim foi a nova aliança criado em uma transição de 40 anos do Egito espiritual (1 Coríntios 10: 1-6; Gal. 4: 21-31; Heb. 4: 9; Ap 11: 8 e 19).

Conclusão

Se estas coisas são assim como comprovamos, Daniel, João e Jesus estão se referindo à destruição de Jerusalém em 70 d.C em relação à Grande Tribulação e ao Dia do Senhor, que os judeus incorreram quando rejeitaram o Messias (Mt 23,36-39). Logo ficaóbvio que a Grande Tribulação já passou! Engraçado é que o livro de Daniel é o 27º livro do velho testamento, enquanto Apocalipse é o 27º livro do novo testamento. 

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

O QUE É UM PRETERISTA?



De acordo com Unabridged Universal Dicionário Webster, um Preterista é "um teólogo que acredita que todas as profecias inclusive a do Apocalipse já se cumpriram" (Fonte: WordNet ® 1.6, © 1997 da Universidade de Princeton). Sim, um Preterista acredita que todas as profecias da Bíblia tem sido realizada. Deixe-me aprofundar na questão.... Para a maioria das pessoas, esta é uma declaração chocante. Que causa uma reação imediata, geralmente negativa. Isso é muito ruim, porque as Escrituras são muito claras quanto ao momento de suas profecias. Não devemos analisar para que a Palavra de Deus seja compreensível?

Algumas pessoas acreditam que, porque Deus é eterno e vive fora das restrições do  tempo / espaço, ele não está preocupado em comunicar suas decisões com precisão em relação ao tempo. Por exemplo, muitos interpretam a passagem em I Pedro 3 como indicando isso. Eles dizem que, para Deus, um dia é o mesmo que 1.000 anos e vice-versa. Usando esta suposição, eles ignoram as limitações de tempo de textos proféticos, dizendo que eles são "flexíveis".Desta forma, afirmações como "à mão" e"próximo" são interpretados para significar "um longo tempo", como "agora".

Por que é tão difícil entender a Deus em Sua Palavra? Jesus declarou enfaticamente que voltaria antes que a geração D'Ele passasse, Ele estava falando com relação a aqueles que faleceram e não da nossa geração atual! (Mat. 24:34). Apesar das tentativas complicadas em alterar o significado de suas palavras, ele queria dizer exatamente o que diz o texto! Ele ainda disse que aqueles que Ele estava falando, alguns deles viveriam para ver seu retorno (Mt 16: 27-28.).

Então, um Preterista acredita também que as profecias do Apocalipse já se cumpriram. "Em termos mais básicos, um Preterista acredita que todas as profecias da Bíblia foram cumpridas até ao final do primeiro século d.C (geralmente em 70 AD), e essas profecias têm resultados contínuos (efeitos) para o nosso hoje! Por exemplo: Quando Jesus começou sua pregação, ele proclamou que o reino de Deus era vindo, porém já "veio com poder" em 70 d.C (Mc 9.: 1) "na mão." e continua a existir no poder ainda hoje! Existem várias razões pelas quais você pode querer se tornar um Preterista:

Primeiro: O seu conhecimento escatológico (profético) será consistente com as Escrituras. Quando Jesus diz algo como: "Esta geração que não passará antes de todas estas coisas sejam cumpridas" (Mt 24:34), você pode dizer: "Amém! Ele estava dizendo a verdade!" sem ter que passar por várias ginástica hermenêutica (interpretação), a fim de negar o sentido claro das palavras do Mestre.

Segundo: você pode conhecer a mesma alegria dos santos do Antigo Pacto por ter recebido todas as promessas que tanto aguardam ansiosamente. Você pode reconhecer o fato de que você é uma criança de pleno direito de Deus vivendo em Seu reino eterno agora, e desfrutar dos benefícios de uma salvação totalmente cumprida! Nunca mais você vai ter que dizer que você é somente um cidadão de segunda classe, porque você não nasceu judeu ou não viver na antiga Jerusalém "Israel". você pode saber com certeza que você é um cidadão do verdadeiro Israel com plenos direitos e privilégios, um verdadeiro filho de Abraão, sendo você  judeu ou gentio.

Você também pode ter a confiança de saber que você está vivendo na idade Unido (você pode chamá-lo de "era da Igreja", se quiser), e que é eterna em sua duração!

Em terceiro lugar, você pode viver sua vida produtiva!Sem pessimismo é necessário, neste ponto de vista.Você não terá que ser desencorajados a trabalhar para mudar a sociedade, porque você vai saber que as coisas que você faz pode fazer a diferença! Você vai descobrir que o "navio" não está afundando, e por isso é uma boa idéia, não só para "polir o bronze", mas também para limpar os pavimentos (você pode até mesmo ligar a bomba de esgoto)! Você pode viver sua vida livre do medo de um desastre iminente e tribulação. Nem mais você precisa para recear ser "deixado para trás" em um futuro supostamente "arrebatamento". A energia que você anteriormente desperdiçado se preocupar desnecessariamente sobre essas coisas podem ser usados ​​positivamente agora para promover a propagação do reino maravilhoso de Deus!

Em quarto lugar, quando você compartilhar o evangelho com alguém, você pode oferecer-lhes realmente uma boa notícia. Nem tudo está perdido! As nações não estão destinados a assumir, e nunca foram!(A única razão pela qual eles têm a posição que fazer agora de aparente superioridade é porque a Igreja tenha sido envenenado com a falsa noção de que a Bíblia profetiza sua derrota). Você pode ter a confiança de saber que você pertence a um dos maiores e mais poderosos "máquinas de combate" no universo e você está destinado a ganhar!

Agora, a pergunta é: Você tem a coragem de tomar Jesus em Sua palavra? você pode acreditar quando ele diz que sua segunda vinda ocorreria antes da geração de pessoas que Ele falou para durante Seu ministério terreno havia falecido? Você é capaz de confiar nele o suficiente para acreditar que Ele disse quando Ele garantiu alguns dos seus primeiros membros da audiência século que não morreria antes de ver o Seu retorno e o pleno estabelecimento do reino Nova Aliança de Deus?

Sim, é preciso coragem para se tornar um Preterist. Eu tenho sido chamado de herege e foi gritado por aqueles que detêm a diferentes pontos de vista da profecia bíblica (que citam seu professor favorito, não as Escrituras, como sua autoridade). Meus problemas foram menores em comparação com os outros. Alguns foram expulsos de suas casas igreja e caluniado. Eles foram acusados ​​de ensinar "heresias perigosas e destrutivas" e tiveram seus nomes correr pela lama publicamente e em todas as igrejas em sua comunidade. Jesus nos advertiu que, se fôssemos para segui-Lo realmente, que nos custaria, por vezes, muito caro (Lc 14: 26-33). Certamente não é nada para ser assumido levianamente!

Então, aqui está o desafio: Examine as seguintes passagens das Escrituras e veja se você pode aceitar o que dizem pelo valor de face. O problema com a maioria das pessoas é que quando eles se deparar com versos como estes, e compreender a implicação óbvia deles, eles imediatamente começar a procurar uma explicação alternativa. Não porque o texto exige isso, mas porque o sistema que lhes foi ensinado o exige!


"Quando você está perseguirem numa cidade, fugi para outra. Digo-lhes a verdade, você não vai terminar de percorrer as cidades de Israel perante o Filho do Homem vier" (Mt 10:23).

"Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos, e então retribuirá a cada pessoa de acordo com o que ele fez. Digo-lhes a verdade, alguns que estão aqui não provarão a morte até que vejam o Filho do Homem no seu reino "(Mt 16: 27-28).

A transfiguração que teve lugar alguns dias depois que Jesus fez esta declaração não pode ser o cumprimento desta profecia. Note-se que durante a transfiguração não havia anjos presentes, e há recompensas dadas de acordo com obras de ninguém. Além disso, teria sido uma coisa estranha de se dizer que apenas "alguns" dos ouvintes a Ele viveria tempo suficiente para testemunhar este evento! (Talvez Sua audiência foi composta de octogenários).


". Mesmo assim, quando virdes todas estas coisas, você sabe que ele está próximo, mesmo à porta eu vos digo a verdade, esta geração vai certamente não passará até que todas estas coisas aconteçam" (Mt 24: 33-34 ).

Compare isto com a tradução NEB: "Digo-vos isto:. A atual geração vai viver para ver tudo" Para aqueles que podem ser tentados a interpretar a palavra "geração" (em grego: genea) no sentido de "raça" (em grego: genos), comparar o uso da mesma palavra, do mesmo autor, apenas um capítulo anterior:


"E assim, sobre vocês recairá todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue do justo Abel até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o templo eo altar. Digo-lhes a verdade, toda isto virá sobre esta geração "(Mt 23: 35-36).

. "Mas Jesus permaneceu em silêncio o sumo sacerdote disse-lhe:" Exijo que você jure pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus. ' "Sim, é como você diz," Jesus respondeu: "Mas eu digo a todos vocês: No futuro, você vai ver o Filho do Homem sentado à direita do Poderoso e vindo sobre as nuvens do céu '." (Mt 26: 63-64).

Por favor, note que o sumo sacerdote Jesus estava se dirigindo morreu durante a AD 70 cerco de Jerusalém.Se ele não viu a vinda de Cristo nos acontecimentos que tiveram lugar naquele tempo, Jesus estava enganado!

Ao longo do NT, a salvação é equiparado com a segunda vinda de Cristo, e é falado como estando ainda no futuro:


"E isso, compreender o tempo presente. Chegou a hora de você acordar de seu sono, porque a nossa salvação está mais perto agora do que quando no princípio cremos" (Rm 13:11).

"E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, com o qual fostes selados para o dia da redenção" (Ef 4:30).

"... Que, pela fé, são protegidos pelo poder de Deus até a vinda da salvação que está preparada para se revelar no último tempo" (1 Pe 1: 5).

Se Cristo não retornou ainda como Ele disse que faria, ainda estamos à espera para a salvação!



Há um princípio na pesquisa científica de que pode ser aplicado a um caso como este. Quando uma teoria tem um número de anomalias visíveis que não pode ser explicado sem complicados "exceções às regras", ele geralmente indica que é hora de avançar com uma nova teoria que explica todos os dados. Se você encontrar-se ter de aplicar as regras "especiais" de interpretação de certas passagens das Escrituras (por exemplo, redefinindo palavras, a fim de escapar de seus significados primários), talvez você precisa re-examinar seus pressupostos básicos. Na comunidade científica, isto é conhecido como uma "mudança de paradigma". 1

Os dados (todos os dados) é re-examinado e novas teorias são propostas que levem em conta e explicar as coisas que foram previamente pensado para ser anomalias. Por exemplo, no estudo do universo, a teoria de um universo geocêntrico (centrada na terra) de Ptolomeu reinou supremo por mais de mil anos. No entanto, ele não podia explicar certas ações planetários, como a sua (para trás) movimento periódico "retrógrado", sem o uso de uma série de cálculos complicados, todos concebidos para explicar essas aparentes exceções à regra. Quando Copérnico finalmente apareceu em cena, ele postulou uma teoria nova, que levou em conta todos os dados observáveis.Ele sugeriu que o universo era heliocêntrico (centrado no Sol) e que a Terra se transformou em seu eixo a cada 24 horas. Como sabemos, a sua teoria era muito mais perto da verdade do que a de Ptolomeu.

Isto é o que deve acontecer no assunto da escatologia.Ao abrigo dos regimes atuais, há muitos "anomalias" que estas visões não conseguem explicar adequadamente com as suas regras de interpretação.Uma mudança de paradigma deve ter lugar e uma teoria "novo" tem de substituir os antigos. Eu digo "novo" porque a vista que tem todos os dados em conta não é realmente novo. Tem sido em torno desde o primeiro século (Jesus e seus apóstolos eram Preteristas). Foi simplesmente esquecidos ou negligenciados pela maioria das pessoas hoje. Chegou o momento, no entanto, a tomar um outro olhar para este ponto de vista à luz das Escrituras!

Muitas outras passagens da Escritura poderiam ser citados que demonstram o fato de que Jesus ensinou seus discípulos a olhar para o Seu retorno dentro de suas vidas. Eles escreveram o que Ele ensinou e passou para a Igreja. Muitas pessoas esquecem que a Bíblia foi escrita para comunicar a verdade de Deus ao homem.Não está escrito em um "código de Deus" especial que só Ele pode entender. É verdade que pode ser difícil de aceitar, mas isso é devido aos pressupostos que trazemos para o texto da Escritura, não por causa de qualquer ambiguidade na Palavra. Chega um momento em que temos de admitir que não sabemos tudo e simplesmente acreditar que a Palavra de Deus diz.



É por isso que eu me tornei um Preterist. É por isso que você deve se tornar um, também!

Jesus mentiu? Jesus era um falso profeta? Jesus falhou?



Por: Ken Davies
*** Nota adicional Por Erivelto Soares

Jesus Cristo fez certas declarações aos seus discípulos sobre sua segunda vinda, a grande tribulação, dia do juízo e ao ajuntamento de seu povo. Na verdade, ele disse que todas essas coisas aconteceriam dentro da geração que viveu há mais de 1900 anos atrás (. Mateus 24: 32-34 )

Ele disse aos seus discípulos que alguns deles viveria para ver isso acontecer e que eles não iria terminar de percorrer as cidades de Israel antes que ele houvesse chegado. ( Mateus 16: 27-28 , Mateus 10: 16-23 )

Jesus disse aos líderes religiosos de seus dias que o seu tratamento assim como dos seus apóstolos foi uma das principais razões que ele estava voltando. Ele estava voltando para julgá-los por sua conduta e destruir Jerusalém e do templo. ( Mateus 23: 29-36 , Lucas 11: 47-51 )

Jesus também disse aos discípulos para "vigiar e orar", porque o tempo estava "próximo", que ele "viria rapidamente", e que eles devessem fugir de Jerusalém quando as coisas começarem a ocorrer, que eles finalmente fez. ( Lucas : 21: 5-36 )

Então ... Será que Jesus mentiu? Jesus era um falso profeta? Jesus falhou?

Infelizmente, muitas pessoas que se autodenominam cristãos hoje acreditam que Jesus estava errado ou equivocado quando fez tais declarações urgentes. Eles acreditam e ensinam que nenhuma das coisas que ele previu nos textos acima, incluindo a sua segunda vinda, realmente aconteceram quando eles deveriam .Outros tentam manipular as palavras vitais do Senhor Jesus para dar um sentido completamente diferente do que é.


***Como um estudioso que sou e levando em conta a postagem acima, tive um desprazer de ver uma postagem do Augustus Nicodemus Lopes, Fazendo essa constrangedora afirmação! Na postagem do seu Blog ele declara que o Senhor Jesus errou ao falar do tempo de sua vinda ainda quando os seus discípulos estivessem pregando o evangelho do reino em Israel (Mateus 10: 23)

Ditos difíceis de Jesus (1)


Por Augustus Nicodemus Lopes

 

Uma promessa enganosa? Mateus 10.23. 

Quando, porém, vos perseguirem numa cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel, até que venha o Filho do Homem.

 

Há diversos “ditos difíceis” de Jesus registrados nos Evangelhos, assim chamados porque o sentido deles nem sempre parece claro ou coerente à primeira vista. Eles têm desafiado a criatividade e a capacidade dos estudiosos por séculos. O fato de que estes ditos foram transmitidos pela Igreja Primitiva e estão hoje nos Evangelhos canônicos é prova de que os primeiros cristãos os consideravam autênticos, muito embora não os entendessem plenamente. Nesta postagem e outras que virão veremos alguns destes ditos.

O primeiro que gostaríamos de mencionar é Mateus 10.23. Estas palavras de Jesus foram pronunciadas aos doze apóstolos após haver-lhes determinado que fossem, de dois em dois, pregar nas vilas e cidades de Israel (ver Mt 10.1-6). O Senhor os instruiu sobre como deveriam levar a cabo a obra de evangelização dos judeus (Mt 10.7-15), advertiu-os quanto aos perigos que deveriam encontrar na jornada, especialmente as perseguições (Mt 10.16-22) e lhes fez esta exortação e promessa: “Quando, porém, vos perseguirem numa cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel, até que venha o Filho do Homem” (Mt 10.23).

Este dito ou palavra do Senhor Jesus (sublinhado acima) é considerado difícil porque aparentemente se trata de uma profecia não cumprida, pois seus discípulos terminaram a missão (ver Lc 9.10) e a “vinda” do Filho do Homem não aconteceu. As palavras de Jesus parecem dar a entender que Ele esperava a manifestação plena do Reino de Deus durante a missão dos Doze em Israel, mas esta expectativa se frustrou.

sábado, 6 de agosto de 2016

GOGUE E MAGOGUE EM 70 D.C PELA ÓTICA DA PATRÍSTICA.


A grande FALACIA FUTURISTA é afirmar que o Apocalipse de João, jamais poderia ter sido escrito antes de 70 D.C. Ou seja, antes da destruição do templo, pois segundo os tais futuristas falaciosos, os pais da igreja afirmavam que o Apocalipse de João, fora escrito depois da destruição do templo, sendo assim, acabaria com a interpretação correta do Apocalipse, onde afirmamos que as tribulações ocorreram durante o cerco de Jerusalém e a destruição do Templo.
O ajuntamento dos romanos em 70 d C foi profetizado por Jesus e por João, autor do Apocalipse, sendo que no livro da revelação João se vale de um um texto apocalíptico existente no AT, como se quisesse abrir um parentese para facilitar a compreensão dos leitores sobre a visão que ele receberá, João utiliza uma Figura de linguagem, um recurso de expressão, com o objetivo de ampliar o significado do texto para os leitores cristãos do I século, mas também para usando esses termos ele torna quase totalmente obscuro aos que não estão familiarizados com a literatura apocalíptica judaica, garantindo que somente leitores específicos com saberiam interpretar as passagens difíceis de seu livro, pois falar de formar aberta em períodos de ditadores, é o mesmo que colocar toda a sua obra em cheque, ou até a sua própria vida. Além do que esse é um recurso que dá uma grande expressividade ao texto profético e que respeita a questão cultural e linguística daquele período.
Gogue e Magogue de Ez 38 e 39 foi utilizado por João no capitulo 20 de Apocalipse como sinônimo de uma batalha final entre o povo de Deus e seus adversários e nesta passagem Gogue definiu-se como o inimigo de Deus e seu povo, assim como o império romano também o fez durante o ajuntamento que se deu de 66 d.C a 70 d.C.
Os pais da igreja, ao interpretarem os textos apocalípticos contidos nos evangelhos, acabaram por endossar que João utilizou as passagens de Ez 38 e 39 para fazer um paralelismo ao evento que em breve se daria em seu tempo, e isso os pais da igreja registraram em varias citações destes eventos apocalípticos de MT24, MC13 e LC21 em sua OBRAS PATRÍSTICAS.
Neste artigo serão expostos inúmeras dessas citações onde os pais da igreja confirmam o cumprimento de todas as profecias entre 66 d.C até 70 d.C, período este da Guerra romano-judaicas, o que explica estes versículos muito bem:
Ap 1:19 Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer;
Aqui vemos que coisas já ocorridas foram relatados no livro, ou seja, a perseguição e a apostasia já haviam se manifestado contra a igreja, isso fica evidente nas cartas de Paulo, Pedro e João.
Apocalipse: 17. 8. A besta que viste era e já não É...
Um rei EXISTE (Apocalipse 17.10)
Já aqui no capitulo 17 encontramos algo interresante no texto grego, é exatamente aqui o ponto onde começa a ser relatado as coisas que são, pois o tempo verbal grego passa a ser empregado no presente do indicativo nos verbos SER (É) e EXISTIR (EXISTE), esse tempo verbal expressa um fato atual, algo que está ocorrendo naquele exato momento. João usou o verbo εστι (esti) - presente do indicativo.(mais detalhes podem ser vistos no link http://escatologiaplena.blogspot.com.br/…/a-cronologia-da-b… ou na pagina do facebook do meu amigo OG Silva)
Antes de entramos na questão da patristica, QUERO LEMBRAR QUE PARA NÓS A FONTE PRIMEIRA DO PRETERISMO COMPLETO É E SEMPRE SERÁ AS PALAVRAS DE JESUS E DE SEUS APOSTOLOS.
“Como lhe chamassem a atenção para a construção do templo feito de belas pedras e recamado de ricos donativos, Jesus disse: Dias virão em que destas coisas que vedes não ficará pedra sobre pedra: tudo será destruído. Então o interrogaram: Mestre, quando acontecerá isso? E que sinal haverá para saber-se que isso se vai cumprir?” (Evangelho de São Lucas, Capítulo 21, Versos 5,6 e 7)
Pelo visto, a opinião de Jesus Cristo, não possui valor algum dentro da escatologia futurista, pois era justamente da destruição do Templo que Ele, nosso Salvador, se referia ao narrar às tribulações do Apocalipse em: (Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21); e não fica por ai, quando indagado pelos Apóstolos sobre o momento que tudo iria acontecer:
“Mestre, quando acontecerá isso? E que sinal haverá para saber-se que isso se vai cumprir?” .
Jesus Cristo responde: “Quando virdes que Jerusalém foi sitiada por exércitos, então sabereis que está próxima a sua ruína” (Evangelho de São Lucas 21:20)
Eis aí Jesus citando o Gogue e Magogue descritos em Apocalise 20:8-10.
Então eu pergunto aos futuristas:
Quando foi que Jerusalém fora sitiada por exércitos e o Templo fora destruído?
Simples essa resposta, porém, se tiverem medo de responder, Jesus Cristo responde:
“Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça” (Mateus 24:34)
Segundo Jesus Cristo, a grande tribulação, era para se cumprir naquela geração Apostólica; então eu pergunto:
Naquela geração, Jerusalém fora sitiada?
Naquela geração, o Templo fora destruído?
Naquela geração, os Cristãos foram perseguidos?
Eu creio que sim, qualquer estudioso sabe dos eventos foram ocorridos no primeiro século da era Cristã.
Bem, voltando ao assunto, segundo os argumentos futuristas, os pais da igreja eram contra a visão de Jesus Cristo que apresentei logo acima sobre quando iria se cumpri as tribulações dos Apocalipse; o que é um absurdo! E para tentar justificar essa heresia, além de querer atribuir ao Apocalipse uma datação que não existe, os futuristas, querem atribuir por conta própria, datas para os mártires da Igreja do I seculo.
PATRISTICA
PAI DA IGREJA ANTIPAS DE PÉRGAMO
Segundo eles, Antipas de Pérgamo, teria sido martirizado no reinado de Domiciano, ou seja, depois da destruição do Templo, sendo assim, o Apocalipse de João, jamais poderia ter sido escrito antes de 70 D.C. O que tornaria o Apocalipse um livro totalmente futurista e pronto para as MENTIRAS DO APOCALIPSE FUTURISTA. Mas será verdade isso?
Eles tentam segurar essa heresia pelos equívocos de um site Ortodoxo, aliás, apenas um site, pois todos os outros sites Ortodoxos são unânimes em afirmar que Antipas de Pérgamo fora martirizado no reinado de CEZAR NERO.
Nesta postagem irei provar que:
Os Pais da Igreja pregavam abertamente que (Mateus 24, Marcos 13, Lucas 21 e as profecias de Daniel) haviam se cumprido durante a Destruição do Templo. (Nossa batalha final, Gogue e Magogue)
Muitos Pais da Igreja afirmaram que o Apocalipse fora escrito antes da Destruição do Templo.
E que a tradição afirma que Antipas de Pérgamo fora martirizado durante o reinado de CEZAR NERO.
PAI DA IGREJA JERÔNIMO
Observe o que diz o pai da igreja Jerônimo:
"Como para o Anticristo, não há dúvida, mas o que ele vai lutar contra a santa aliança... esses eventos foram tipicamente prefigurados sob Antíoco Epifânio, de modo que este rei abominável que perseguiram o povo de Deus prefigura o Anticristo, que está a perseguir o povo de Cristo. E assim há muitos de nosso ponto de vista que pensam que Nero era o anticristo por causa de sua selvageria e depravação” (São Jerônimo - Comentário sobre Daniel, notas sobre Daniel 11:27-30, - Baker Book House Grand Rapids, Michigan, 1958)
Segundo o pai da igreja Jerônimo, um dos maiores doutores da patristica, Antíoco Epifanes, era a pré-figuração do Anticristo que iria perseguir os Cristãos, e, muitos Pais da Igreja pensavam que esse anticristo era CEZAR NERO.
Para a Patrística a interpretação dos eventos finais se davam através de textos que eles entendiam muito bem como Mateus 24, Marcos 13, Lucas 21 e as profecias de Daniel, eles os interpretavam perfeitamente, no qual, hoje sabemos que se trata do próprio Apocalipse. Ou alguém é louco de dizer que Mateus 24, por exemplo, não se trata do próprio Apocalipse de João?
PAI DA IGREJA EUZÉBIO DE CESAREIA
Observem o que diz Euzébio a respeito de (Mateus 24, Marcos 13, Lucas 21).
“Também o povo da igreja de Jerusalém, por seguir um oráculo enviado por revelação aos notáveis do lugar, receberam a ordem de mudar de cidade antes da guerra e habitar certa cidade da Peréia chamada Pella. Tendo os que creram em Cristo emigrado até lá desde Jerusalém, a partir deste momento, como se todos os homens santos tivessem abandonado por completo a própria metrópole real dos judeus e toda a região da Judéia, a justiça divina alcançou os judeus pelas iniquidades que cometeram contra Cristo e seus apóstolos, e apagou dentre os homens toda aquela geração de ímpios” (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo V, Verso III)
Bem, Euzébio, se refere a um oráculo enviado aos Santos para FUGIR de Jerusalém antes da Guerra que iria castigar os Judeus.
Onde podemos encontrar esse oráculo enviado aos Santos?
Simples, encontramos no Evangelho de Lucas.
“Quando virdes que Jerusalém foi sitiada por exércitos, então sabereis que está próxima a sua ruína. Os que então se acharem na Judeia fujam para os montes; os que estiverem dentro da cidade retirem-se; os que estiverem nos campos não entrem na cidade. Porque estes serão dias de castigo, para que se cumpra tudo o que está escrito” (Lucas 21:20-22)
Agora eu pergunto aos FUTURISTAS:
Essa profecia de Jesus Cristo a respeito das tribulações do Apocalipse, segundo os Pais da Igreja, se cumpriu na destruição de Jerusalém ou não?
Vamos continuar, não paramos por aqui, Euzébio, assim como muitos outros Pais da Igreja, tem muito para nos contar.
“Quem, pois quiser saber com exatidão os males que então caíram sobre a nação em todo lugar, e como especialmente os habitantes da Judeia viram-se empurrados ao fundo das calamidades, quantos milhares de jovens, de mulheres e de crianças morreram pela espada, pela fome, e inúmeras outras formas de morte, e quantas e quais cidades da Judéia foram sitiadas, e também quantos horrores e pior do que horrores atingiram os que se refugiaram na mesma Jerusalém, por ser uma metrópole muito fortificada, assim como a índole de toda a guerra, os acontecimentos que nela se sucederam e como, finalmente, a abominação da desolação anunciada pelos profetas se instalou no próprio templo de Deus, tão célebre antigamente, que sofreu todo tipo de destruição e, por último, foi aniquilado pelo FOGO: tudo isso encontrará na narrativa escrita por Josefo” (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo V, Verso IV)
Continuando o mesmo texto, Euzébio, usando os escrito do maior Históriador do primeiro século, Flávio Josefo, aquele que narrou à destruição do Templo de Jerusalém, Euzébio diz:
“finalmente, a abominação da desolação anunciada pelos profetas se instalou no próprio templo de Deus”.
Segundo Euzébio, a destruição de Jerusalém correspondia à profecia da desolação e abominação anunciada pelos profetas, dentro do Templo de Deus. Onde encontramos essas profecias?
“Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) - o leitor entenda bem - então os habitantes da Judeia fujam para as montanhas” (Mateus 24:15-16)
Jesus Cristo cita uma profecia, no qual Euzébio afirma ter se cumprido durante a destruição de Jerusalém. Será mesmo que os PaIs da Igreja não acreditavam que as tribulações aviam se cumprido?
PAI DA IGREJA CLEMENTE DE ALEXANDRIA
Reforçando essa ideia de Euzébio, podemos citar Clemente de Alexandria, ele também afirma que a abominação e a desolação citada por Jesus Cristo, segundo o livro de Daniel, se cumpriu na destruição de Jerusalém.
“Cristo tornou-se rei dos judeus, reinando em Jerusalém no cumprimento de sete semanas”. Mas, nas sessenta e duas semanas, toda a Judeia era estava em paz, e Cristo, nosso Senhor, tendo vindo e cumprido a visão e a profecia, foi ungido na sua carne pelo Espírito Santo de seu pai. Naquelas (sessenta e duas semanas), como disse o profeta, e no meio de uma semana ele era Senhor, e, a metade da semana Nero dominou, e a cidade santa de Jerusalém caiu sobre a abominação; e na metade da semana ele foi tirado, e Otho, Galba, Vitélio e Vespasiano subiram ao poder supremo, destruíram Jerusalém e desolou o lugar santo, tais são os fatos do caso, está claro para ele que é capaz de compreender, como disse o profeta” (Clemente de Alexandria, Stromata, Livro I, Capítulo XXI)
Parece que para Clemente, a tribulações também ocorreram durante a destruição do Templo.
PAI DA IGREJA TERTULIANO
Mas não quero deixar Euzébio e Clemente de (Alexandria) sozinhos nessa, quero também expor os pensamentos de Tertuliano ao tema proposto.
“Vespasiano, no primeiro ano de seu império, subjuga os judeus na guerra, no dia de seu ataque aos judeus, cumpriram as abominações prevista pelo profeta Daniel” (Uma Resposta aos Judeus, Capítulo VII)
Parece-me que Euzébio e Clemente, não estavam sozinhos nessa linha de pensamento, tiveram a ajuda de Tertuliano.
PAI SULPCIUS SEVERO
Mas não acabou ainda, temos o relato de Sulpcius Severo.
"A partir da restauração do templo, à sua destruição, que foi completado por Tito no reinado de seu pai Vespasiano, quando Augusto foi cônsul, houve um período de (483) anos, que antigamente era previsto por Daniel, no qual anunciou que a partir da restauração do templo para sua derrubada, haveria que decorrer setenta e nove semanas. Agora, a partir da data do cativeiro dos judeus até o tempo da restauração da cidade, havia (260) anos" (Sulpcius Severo p. 254, cap. 11, História Sagrada)
Assim compreendemos que segundos os Pais da Igreja, a abominação e a desolação profetizada por Daniel e enfatizada por Jesus Cristo, se cumpriram durante a destruição do Templo de Jerusalém.
Voltamos para Euzébio de Cesareia, continuaremos a ler seu maravilhoso livro História Eclesiástica, nesse maravilhoso livro, encontramos o seguinte texto:
“É justo acrescentar a pregação infalível de nosso Salvador pela qual mostrava estas mesmas coisas quando profetizava assim: AÍ das que estiverem grávidas e das que amamentarem naqueles dias! Orai para que a vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado; porque nesse tempo haverá grande tribulação, como desde o princípio do mundo até agora não tem havido, nem haverá jamais” (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo VII, Verso I)
Euzébio cita um trecho do Evangelho de São Marcos, onde diz a respeito das mulheres grávidas que iriam fugir de Jerusalém e também da grande tribulação que viria sobre a cidade. Isto ele cita no verso primeiro do capítulo três de seu livro, o mais importante está no terceiros verso desse mesmo texto, pois ele afirma que tudo isso aconteceu no segundo ano do reinado de Vespasiano.
“Estes acontecimentos ocorreram deste modo no segundo ano do império de Vespasiano, segundo as predições de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que, por seu divino poder, havia visto de antemão estas mesmas coisas como se já estivessem presentes e havia chorado e soluçado, segundo a Escritura dos sagrados evangelistas, que inclusive acrescentam suas próprias palavras: umas, as que disse dirigindo-se à mesma Jerusalém” (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo VII, Verso III)
Realmente eu poderia acabar esse artigo aqui, pois se o maior Historiador do terceiro século afirma que as tribulações ocorreram no primeiro século, quem sou eu para contraria?
Mas a ala FUTURISTA é mais sábia que Euzébio de Cesareia e todos os outros citados por mim, porém, não quero parar por aqui, vou acrescentar mais uma narrativa de Euzébio, agora, falando sobre os que seriam levados cativos para todas as nações. Observem, pois é uma continuação da narrativa acima, onde Euzébio afirma que tudo aconteceu no segundo ano do reinado de Vespasiano:
“Segundo a Escritura dos sagrados evangelistas, que inclusive acrescentam suas próprias palavras: umas, as que disse dirigindo-se à mesma Jerusalém. Se tu conheceras ao menos neste dia o que diz respeito a tua paz! Mas agora está oculto aos teus olhos. Porque virão dias sobre ti, e teus inimigos te rodearão de paliçadas, te cercarão e por todos os lados te apertarão. E te assolarão a ti e a teus filhos. E outras como referindo-se ao povo: Porque haverá grande necessidade sobre a terra e ira contra este povo. E cairão ao fio da espada e serão levados cativos a todas as nações. E Jerusalém será pisoteada pelos gentios, até que sejam cumpridos os tempos destes povos. E outra vez: E quando virdes Jerusalém cercada por exércitos, sabei então que terá chegado sua desolação” (História Eclesiástica de Euzébio de Cesareia Livro III, Capítulo VII, Verso III, IV e V)
No texto, segundo a narrativa de Euzébio, foram citadas três profecias a respeito de Jerusalém, que por sinal, podemos encontrá-las dentro dos Evangelhos, e, nos mesmos textos onde Jesus Cristo profetiza as tribulações do Apocalipse. Observem:
Onde encontramos a primeira profecia?
“Dizendo: Ah! Se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados; E te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação” (Lucas 19:42-44)
A primeira profecia foi retirada do evangelho de Lucas, onde Jesus Cristo já anunciava o que viria sobre Jerusalém.
Onde encontramos a segunda e a terceira profecia?
“Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação.Então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela. Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas. Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! Porque haverá grande aperto na terra, e ira sobre este povo. E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem” (Lucas 21:21-24)
Exatamente no capítulo onde Jesus Cristo profetiza todas as tribulações do Apocalipse! Não podemos nos esquecer de que na mesma narração, Euzébio afirma:
“Estes acontecimentos ocorreram deste modo no SEGUNDO ANO do império de VESPASIANO, segundo as predições de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”.
Para quem possuí o mínimo de conhecimento histórico, sabe que o segundo ano do reinado de Vespasiano ocorreu por volta de 70dC, (primeiro ano 69dC, segundo ano 70dC).

DATAÇÃO
Bem, agora eu vou mostrar que muitos dos Pais da Igreja, acreditavam que o Apocalipse fora escrito antes da destruição do Templo, tudo é uma questão de interpretação de texto.
Observem:
*Todos os textos tiveram que ser traduzidos, pois eram originalmente em Inglês.
PAI DA IGREJA ARETHAS DE CESAREIA
Arethas diz que o Apocalipse começou a ser escrito por João desde sua estadia em Éfeso, e, tais profecias se cumpriam durante o sitio de Jerusalém e a Destruição do Templo:
"Porque havia muitos, sim, uma incontável multidão de entre os judeus, que acreditavam em Cristo: como eles mesmos disseram a Paulo em sua chegada a Jerusalém: Tu vês irmão, quantos milhares de judeus abraçaram a fé. (Atos 21. 20.) E aquele que deu esta revelação para o evangelista, declara que estes homens não devem partilhar a destruição infligida pelos romanos. Porque a ruína trazida pelos romanos ainda não tinha caído sobre os judeus, quando este Evangelista recebeu estas profecias: e ele não receba em Jerusalém, mas em Iconia perto de Éfeso porque depois do sofrimento do Senhor, ele permaneceu apenas 14 anos em Jerusalém, durante os quais recebeu a mãe do Senhor, que concebeu esta descendência divina, foi preservada nesta vida temporal, após o sofrimento e ressurreição de seu Filho incorruptível. Porque ele (João) continuou com ela sendo como sua mãe comprometida pelo Senhor. Porque depois da sua morte é relatado que ele não escolheu para permanecer na Judéia, mas passou a Éfeso, onde, como já dissemos, este Apocalipse presente também foi composto, que é uma revelação das coisas futuras, na medida em que 40 anos depois da ascensão do Senhor esta tribulação veio sobre os judeus " (Arethas de Cesareia século VIII, Comentários sobre Apocalipse.)
PAI DA IGREJA CLEMENTE DE ALEXANDRIA
Nessa obra, Clemente de Alexandria, afirma que o ministério Apostólico (seus ensinamentos) termina com Paulo no reinado de CEZAR NERO. Se tudo termina em CEZAR NERO, não temos mais revelações e ensinamentos Apostólicos posteriores ao Reinado de CEZAR NERO.
"Para o ensino de nosso Senhor na Sua vinda, começando com Augusto e Tibério, foi concluída em meados da época de Tibério. E a dos apóstolos, abraçando o ministério de Paulo, [seus ensinos] terminou com Nero" (Clemente de Alexandria 150-215, Miscellanies 7:17)
Do mesmo modo, em Epifanias diz:
“O Apocalipse foi escrito em Cezar Nero” (Epifanias 315-403, Heresias 51:12)
PAI DA IGREJA HERMAS
Hermas no Cânon de Muratori Afirma que Paulo também escreveu a apenas sete Igrejas, usando as REGRAS de seu antecessor João, ou seja, Paulo usou a regra no qual João usou em Apocalipse. Lembrando: (Paulo foi martirizado antes da destruição do Templo no Reinado de CEZAR NERO).
"O bem-aventurado apóstolo Paulo, seguindo a REGRA de seu antecessor, João, escreve a não mais de sete igrejas pelo nome" (Cânon de Muratori -170 D.C.)
Segundo Hermans, João escreveu o Apocalipse antes do martírio de Paulo, no qual ocorreu no reinado de CEZAR NERO.
Tertuliano, que foi contemporâneo de Irineu, afirma que João foi banido para ilha de Patmos, já no reinado de CEZAR NERO. Isto ocorreu no mesmo momento que Pedro e Paulo foram martirizados, ou seja, antes da destruição do templo.
"Quão feliz é a sua igreja, em que os apóstolos derramaram toda a sua doutrina, juntamente com o seu sangue! onde Pedro durante a sua paixão como a do seu Senhor; onde Paulo ganha sua coroa em uma morte, como a de João Batista! onde o apóstolo João pela primeira vez caiu, ileso, em óleo fervente, e daí banido para sua ilha-exílio" (Tertuliano, a prescrição contra os hereges, trans. por Peter Holmes Vol. III, Os Padres Ante-Nicene, ed Alexander Roberts e James Donaldson, Grand Rapids: Wm. B. Eerdmans Publishing Company, 1951; p. 260), I, 36.)
Para terminar com essa questão sobre a datação do Apocalipse, vou colocar o texto de Agostinho, um dos maiores doutores da Igreja, respeitado por Católicos, Ortodoxos e até protestantes.
Observem o que diz Agostinho:
"O que significa a declaração, que o mistério da iniquidade já opera?... Alguns supõem que isso seja dito da parte do imperador romano, e, portanto, Paulo não falou em palavras claras, porque ele não teria suportado a acusação de calúnia por ter falado o mal do imperador romano: embora ele sempre esperava que o que tinha dito que seria entendido como aplicação a Nero" (Santo Agostinho, citado por Moisés Stuart, em Apocalipse)
Com essas palavras, Agostinho, acabou com todo retardadismo FUTURISTA sobre o Apocalipse. Segundo Agostinho, os contemporâneos da época, acreditavam que Paulo ao afirmar que O MISTÉRIO DA INIQUIDADE já OPERA (no presente), se referia exatamente ao Império Romano, ou seja, eventos que São Paulo estava vivendo e presenciando, mais precisamente no Reinado de CEZAR NERO. Segundo o texto, Paulo não dizia explicitamente que era o Império Romano para evitar represálias. Seguindo essa lógica, podemos afirmar que João tenha usado a mesma tática no Apocalipse como já frisei no inicio da postagem.
Por esses textos, de vários séculos, podemos compreender exatamente que jamais o livro do Apocalipse fora escrito do dia para noite e muito menos depois da Destruição do templo, sendo que o mesmo se refere exatamente aos fatos ocorridos por volta de 70 D.C. Quando o Império Romano invade Jerusalém e derruba o Templo, todos esses eventos, foram acompanhados por sinais nos céus, guerras, terremotos, fome, peste e uma enorme perseguição contra os Cristãos, ou seja, GOGUE E MAGOGUE MAS CLARO QUE A ÁGUA CRISTALINA.
VOLTANDO A QUESTÃO DE ONDE OS FUTURSTAS CRIAM SUAS HERESIAS (QUESTÃO DO SITE DO INICIO DA POSTAGEM)
Terminando este artigo, quero comentar sobre Antipas de Pérgamo, mártires da Igreja no primeiro século da era Cristã, segundo os futuristas de hoje e dia, eles descobriram a DATA em que esse pai da Igreja fora martirizado, usando um site Ortodoxo totalmente equivocado, os FUTURISTAS, afirmam que Antipas de Pérgamo, fora martirizado durante o Reinado de Domiciano, ou seja, depois da destruição do Templo, sendo assim, jamais João teria escrito o Apocalipse antes de 70 D.C.
O que acontece caro leitor, e que essas suposições sobre datas e martírios, todas foram levantadas em cima das tradições, onde muitos artigos (principalmente futuristas) se equivocaram em certas traduções e acrescentaram informações indevidas. Muitos textos da patrística apresentados pelos futuristas onde diz: “Apocalipse foi escrito durante o Reinado de Domiciano” ou “Tal pessoa morreu no Reinado de Domiciano”.
São frutos de suposições, muitos desses textos, ao invés de trazer o nome (Domiciano), no original traz o nome (Tirano), onde eles traduzem por conta própria e acrescenta o nome Domiciano como significado desse tirano, porém, não podemos nos esquecer de que o maior tirano do primeiro século foi CEZAR NERO.
Sem levar isso em consideração, pois ainda dou os meus primeiros passos em tradução, quero mostrar aos leitores, que o site Ortodoxo apresentado pelos futuristas falaciosos e desonestos está equivocado, pois existem outros sites Ortodoxos que afirmam:
ANTIPAS DE PÉRGAMO viveu e fora martirizado durante o Reinado de CEZAR NERO.
Observem:
*Texto retirado do site ortodoxo: Orthodox Church in America.
http://oca.org/…/101052-hieromartyr-antipas-the-bishop-of-p…
Antipas Hieromártir, discípulo do Apóstolo João, o Teólogo, foi bispo da Igreja de Pérgamo durante o reinado do imperador Nero.
Naquele tempo, todos os que não iria oferecer sacrifício aos ídolos, viviam sob a ameaça de qualquer exílio ou execução por ordem do imperador. Na ilha de Patmos (no Mar Egeu), o Apóstolo João, o Teólogo, foi preso, aquele a quem o Senhor revelou o futuro julgamento do mundo e da Igreja.
Os sacerdotes pagãos enfurecidos arrastaram Antipas Hieromártir do templo de Artemis e jogou-o em um touro de cobre em brasa, onde geralmente eles colocam os sacrifícios aos ídolos. No forno em brasa o mártir orou em voz alta a Deus, pedindo a Ele para receber a sua alma e para fortalecer a fé dos cristãos. Ele foi para o Senhor em paz, como se ele estivesse indo dormir (+ ca. 68) .
Na noite, os cristãos levou o corpo de Antipas Hieromártir, que foi tocada pelo fogo. Sepultaram em Pérgamo.
E ao anjo da igreja de Pérgamo escreve : as palavras daquele que tem a espada afiada de dois gumes. Eu sei onde você mora, onde está o trono de Satanás , e apegar-se a meu nome , e não renunciaram a minha fé , mesmo nos dias em que Antipas , minha fiel testemunha , o qual foi morto entre vós, onde Satanás habita (Ap 2:12-13 ).
Com toda essa imprecisão de datas e martírios, fica difícil afirma que tal pessoa morreu em tal data ou em tal reinado, considerando todos os textos da patrística por mim citados, concluímos que jamais Antipas de Pérgamos poderia ter sido martirizado depois do Reinado de CEZAR NERO; ou melhor, jamais o Apocalipse de João poderia ter sido escrito depois da Destruição do Templo.
Conclusão de tudo isso é que o preterismo tem como fundamento de sua esatologia o respaldo do texto biblco, ou seja, a evidêcia interna, tem ainda o aval da historia secular e da patristica, ou seja, evidêcia externa, para afrmar que GOGUE E MAGOGUE DO CAPITULO 20 DE APOCALIPSE REALMENTE FOI A GUERRA ROMANO-JUDAICA DO I SÉCULO.
Fontes: Escatologia Plena blogspot, Orthodox Church in America, Patristica, Historia dos Hebreus Flavio Josefo, Cris Macabeus, Noções de Grego biblico, Pimordios do Cristianismo, O NT sua origem e análise, pagina facebook OG Silvahttps://www.facebook.com/ogxds?fref=ts
Adaptação e edição dos textos C.S. Lima

terça-feira, 2 de agosto de 2016

OBJEÇÃO FUTURISTA AO PRETERISMO COMPLETO REFUTADO PELO PR. ERIVELTO SOARES.


Apocalipse 16:18 "Houve, então, relâmpagos, vozes, trovões e um forte terremoto. Nunca havia ocorrido um terremoto tão forte como esse desde que o homem existe sobre a terra."
QUESTIONADOR: É óbvio que esse terremoto que seria o maior de toda a história da humanidade não aconteceu em 70 d.C e nem existem registros históricos dele. Caso ele de fato tenha existido a tal ponto de ser o maior de toda a História, então certamente muitas pessoas e historiadores da época iriam descrevê-lo exaustivamente!
REFUTAÇÃO DO PR. ERIVELTO SOARES: É uma observação absurda, sem nexo desse sujeito. Mais uma suposição! Ele pegou um texto isolado e fez uma suposição de um fato histórico como se a questão fosse literal! O livro do apocalipse é um livro de LINGUAGEM FIGURADA e por tanto temos que prestar bem atenção no que se refere à passagem! Nesse caso é preciso considera o contexto: O contexto dessa passagem que o sujeito futurista isolou se inicia no verso 17 do Cap. 16 do Livro: “E o sétimo anjo derramou a sua taça no ar, e saiu grande voz do templo do céu, do trono, dizendo: Está feito.” Apocalipse 16:17
Ora o assunto é sobre O JULGAMENTO DAS TAÇAS! Obviamente está tratando do juízo de Deus sobre Jerusalém. Isso fica bem explícito ao ler o verso 19: “E a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e da grande babilônia se lembrou Deus, para lhe dar o cálice do vinho da indignação da sua ira.” Apocalipse 16:19
Quem é a GRANDE CIDADE?
Resposta: Jerusalém!
Outro ponto interessante é que a destruição de Jerusalém foi desencadeada de uma tribulação indescritível na face da história, pois aqueda de Jerusalém foi mais que apenas a destruição de uma nação, foi o fim de uma Aliança! Havia requisitos espirituais envolvidos que em nenhuma guerra houve ou poderá haver. Temos outras referencia a cerca disso: Mateus 24:21 e Marcos 13:19. Isso fica bem coerente com o termo usado por Jesus quando disse: " ESTÁ FEITO" (Ap. 16:17)
SOLI DEO GLORIA

sexta-feira, 3 de junho de 2016

A Data do Livro de Apocalipse Como Isso Afeta a Nossa Interpretação?

Por: William H. Bell, Jr.

Quando o livro de Apocalipse foi escrito? Que influência o tempo da escrita têm sobre a interpretação do livro? Essa e outras questões ao redor da data são o ponto focal deste artigo. Duas datas possíveis são geralmente sugeridas para a escrita do livro de Apocalipse. Uma, a mais antiga, é 95 ou 96 d.C. A outra é uma data mais primitiva e é normalmente sugerida ser algo por volta de 68 d.C. Por que essas datas são importantes? Não é porque saber a data precisa ou o ano exato seja necessariamente importante. Antes, é porque há um período tão grande entre essas datas que ele influencia diretamente a interpretação e aplicação dos símbolos encontrados dentro do livro. Por exemplo, se a data mais antiga pode ser estabelecida, então uma aplicação a um período mais precoce deve ser ignorada, especialmente visto que o livro é profético e descreve coisas que “brevemente deveriam acontecer” (Apocalipse 1:1), isto é, coisas então iminentemente futuras. Eventos que já tivessem acontecido não poderiam ser considerados de forma alguma. A destruição de Jerusalém é um evento que aconteceu em 70 d.C. Aqueles que advogam a data mais antiga não vêem nenhuma referência, seja qual for, à destruição de Jerusalém no livro. Eles devem encontrar eventos futuros ao ano 95 d.C., aos quais as profecias contidas no livro devem se aplicar. Por outro lado, se o livro foi escrito antes da destruição de Jerusalém, em ou antes de 68 d.C., então é possível para o intérprete aplicar o conteúdo do livro a esse evento. Isso torna a datação deste livro um assunto deveras muito importante. Ele é um assunto sobre o qual todo cristão deveria estar razoavelmente ciente, por causa das conseqüências que têm sobre um entendimento apropriado deste belo livro. Mas essa é uma questão muito difícil para uma pessoa “comum” decidir? Não, de forma alguma. Na verdade, é somente ocultando das multidões a evidência que tal ignorância ainda prevalece sobre a data. A evidência é impressionante e convincente. O estudante mediano da Bíblia pode muito bem se assegurar do tempo geral no qual este livro foi escrito e da melhor forma de entender a sua mensagem e conteúdo. 

Qual é a evidência para as duas datas? Primeiro, a data mais antiga (95 ou 96 d.C.) é baseada puramente numa evidência externa. Por evidência externa queremos dizer evidência que se origina fora da Bíblia, ou evidência não inspirada. Ela é baseada no testemunho de um  homem, Ireneu, que viveu aproximadamente de 130 a 200 d.C. Sua declaração foi preservada por um historiador da igreja chamado Eusébio, que viveu aproximadamente de 264 a 340 d.C. Assim, na melhor das hipóteses, temos um testemunho não inspirado, de segunda mão, para a data mais antiga. A declaração de Ireneu é a seguinte: “Se fosse necessário ter seu nome distintamente anunciado no presente tempo, sem dúvida teria sido anunciado por aquele que viu o Apocalipse; pois não foi muito antes disto que ele foi visto, mas quase em sua própria geração, nos fins do reinado de Domiciano” (citado em The Book of Revelation, Foy E. Wallace Jr., p. 25). Com respeito à declaração acima, estudiosos têm reconhecido que não é possível determinar se Ireneu queria dizer que João foi visto pelo tutor de Ireneu, Policarpo, ou se “o Apocalipse foi visto nos fins do reinado de Domiciano”. Tal ambigüidade destrói este argumento como evidência. Mesmo Eusébio, que registrou essa declaração, duvidava que João, o apóstolo, tinha escrito do livro de Apocalipse. 

O ponto aqui é o seguinte: se a declaração não foi forte o suficiente para convencer Eusébio que João tinha sequer escrito Apocalipse, por que muitos pensam hoje que ela é forte o suficiente para convencer a alguém que o apóstolo viu tal livro durante o reinado de Domiciano (95 d.C.)? O mínimo que se pode dizer é que esse argumento é fraco. Outros que comentam sobre a declaração dizem: “Sua citação (de Eusébio) nem sequer menciona ‘a escrita’ de Apocalipse, mas refere-se somente ao tempo quando certas pessoas anônimas alegavam ter visto o apóstolo ou a profecia, ninguém sabendo qual. Isso não prova nada. E mais: isso se ele quis dizer que o Apocalipse foi visto, e se o que estava originalmente contido na citação pudesse ter referência à tradução grega , se é que de fato referia-se ao Apocalipse. Aí vai se embora o caso todo para a data mais antiga (Commentary on Revelation, Burton Coffman, p 4). Finalmente, Ireneu disse da idade de Jesus, “mas a idade de 30 anos é a primeira da mente de um jovem, e que essa alcança até mesmo os quarenta anos, todo o mundo concordará: mas após os quarenta e cinqüenta anos, começa a se aproximar da idade velha: na qual o nosso Senhor estava quando ensinou, como o Evangelho e todos os Anciãos testemunham…” (Citado em Before Jerusalem Fell, Kenneth L. Gentry, p. 63). Podemos confiar no testemunho de um homem que diz que Jesus ensinou por 15 anos e que tinha cinqüenta anos de idade quando morreu? Todavia, basicamente existe apenas o seu testemunho para a data mais antiga especificamente 64-68 d.C.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

"O tempo do fim" – O que os discípulos queriam saber sobre a consumação do século?

Por: Por Michael J. Sullivan
Tradução: Erivelto Soares

"E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século?" Mateus 24:3


Todos os futuristas e dispensacionalistas ao ler a passagem de Mateus 24:3, observam que os discípulos estavam confusos em associar a vinda de Jesus com o final da era mosaica na destruição do templo. Essa é um dos questionamentos feito pela tradição religiosa há muito tempo. Mais ao olhar criticamente o verso seguindo a linha contextual, observamos que os discípulos estão na verdade ligando os acontecimentos em um único evento. Veja que Jesus ao responder aos discípulos, Ele faz uma abordagem na resposta sob esse único evento! Vamos então examinar hermeneuticamente o texto e entender melhor essa questão. 

Os judeus do tempo de Jesus entendia muito bem a frase "consumação do século" se referindo a velha aliança de Moisés e os profetas e a "era por vir", como o novo pacto ou idade Messiânica.

No livro de Daniel a consumação dos principais eventos escatológicos podem ser encontrados nos capítulos 7, 9 e 12. Daniel ligou o evento escatológico com a desolação do templo, a ressurreição, a tribulação, a vinda de o Filho do homem e com a chegada do reino, a ter lugar quando a cidade e o templo estivessem sido destruídos - ou "quando o poder do povo santo seria completamente destruído" "todas estas coisas" (não alguns delas) seriam cumpridas em conjunto (cf. ver as cenas de consumação em Dan. 12: 1-7; Dan. 7: 13-14, 18, ​​27; 9: 24-27).

Em Mateus 13: 39-43, 51  Jesus ensinou que o julgamento e a ressurreição teriam lugar no final de sua antiga aliança. Jesus especificamente pergunta se eles entenderam sobre o "aquela era." ensinando sobre o momento da presente colheita no final de sua "era", e eles enfaticamente responderam "Sim" (vs. 51).
Jesus já tinha ensinado que Ele voltaria em algum momento das suas vidas (Mateus 10: 22-23; 16: 27-28 / Marcos 8: 38-9: 1).

Jesus já tinha lhes ensinado também que todo o sangue do justo Abel seria vingado quando o templo estivesse sido destruído em sua geração "esta geração " (Mateus 23: 30-36, 38). Isaías no seu "pequeno apocalipse" (Isaías 24-28) coloca todos os eventos escatológicos (Fim da aliança, vingança do pecado da culpa de sangue, o sopro da trombeta, a ressurreição, etc ...) a ter lugar junto quando o templo estivesse destruído como está escrito: "...quando ele fizer a todas as pedras do altar como pedras de cal feitas em pedaços..." (Isaías 27: 9).

Assim, antes mesmo de chegar em Mateus 24, os discípulos poderiam de fato ter discernido a partir dos profetas como Daniel e Isaías, que todos os eventos escatológicos seriam cumpridos quando o templo estivesse destruído. O registro afirma claramente que os discípulos compreenderam o ensinamento de Jesus sobre "a consumação do século" ou o fim de sua "era." E, finalmente, Jesus já tinha ensinado a eles que alguns deles viveria para testemunhar seu retorno e a destruição do templo. Portanto, eles não estavam errados para associar e conectar a sua vinda (Parousia) com a consumação do século na destruição do templo!

Milton Terry escreveu a respeito do ensinamento de Jesus sobre o "fim dos tempos" no discurso no monte das Oliveiras  e no resto do N.T (como Hebreus 9: 26-28) e disse:
"O fim dos tempos, o encerramento da época ou idade, ou seja, a era judaica ou dispensação da lei falam a respeito desse fim que se aproximava sobre as ruínas do templo como nosso Senhor frequentemente intimou a sua geração. Todas essas passagens que falam de 'final' ', o fim dos tempos”, ou" os fins dos séculos”, se referem à mesma consumação, e sempre como perto. O escritor considera o ministério de Cristo como tendo lugar perto do fim do “aion”, ou período da dispensação judaica.  Supor que ele quis dizer que era perto do fim do planeta terra, ou a destruição do mundo material, seria fazê-lo escrever uma história falsa, bem como uma má e grotesca gramática. Não seria verdadeiro o fato para o mundo (aion) dura mais tempo, pois a encarnação do verbo era o tempo final para a duração da dispensação mosaica, dês de o êxodo para a destruição do templo. Com isso por tanto é inútil dizer que o "fim do mundo" pudesse significar um período prolongado, que se estendesse desde a encarnação do verbo até o nosso tempo, e até mesmo muito além desse tempo. Isso seria uma eternidade, e não o encerramento de um “aion”. O “aion” do qual nosso Senhor estava falando era de um fim de uma grande catástrofe! E uma catástrofe não é um processo demorado, mas um ato definitivo e culminado. 
Referencia literária: "Milton S. Terry, bíblico HERMENÊUTICA Um Tratado sobre a Interpretação do Antigo e do Novo Testamento, (Zondervan Publishing House, 1986), 441-442.

Portanto, Mateus 24:3 é de fato o entendimento dos discípulos a cerca de Cristo vindo em julgamento sobre antiga aliança em derramamento de sua ira sobre  Jerusalém no verão de 66 d.C - 70 d.C para trazer um fim à velha aliança (não o planeta Terra ou para terminar a era da Igreja). Logo os futuristas e os dispensacionalistas  são os  únicos confusos sobre os ensinamentos de Jesus no Sermão do Monte e não os discípulos. Tendo estabelecido que o discurso é sobre o fim da velha aliança e não a história do mundo ou o planeta terra, podemos facilmente ver como todas essas coisas seriam cumpridas em Jesus e seus contemporâneos 30 d.C - 70 d.C "esta geração " (Mateus 24: 34).

Soli Deo Gloria!


Seguir por e-mail

Comentários recentes