Seja Bem Vindo ao Maior Portal de Estudos do Preterismo Completo do Brasil Para a Glória de Deus!

Postados até aqui...

Loading...

Translate

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Como entender a respeito do reinado do Ungido de Deus?


 Por Erivelto Soares

O fato é que o Ungido deveria reinar em Jerusalém. (Salmos 2, Isaías 24:23) E depois do fim dos tempos, Sião ou Jerusalém se tornariam a capital do reino do Ungido de Deus. (Isaías 2: 2) Mas que Jerusalém estamos falando que se tronaria a capital do reino do Ungido de Deus? De acordo com Hebreus 12:22 e Gálatas 4:26, há também uma Jerusalém no céu. Hebreus 12:22 diz: “Mas tendes chegado ao Monte Sião, à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial..." Todo crente em Jesus é parte desses milhares e milhares de anjos em alegre reunião. Gálatas 4:26 também menciona uma Jerusalém que está no céu:“Mas a Jerusalém que está em cima é livre, e ela é nossa mãe.” 
O texto mais impressionante sobre o reinado do Ungido de Deus na Jerusalém Celeste banqueteando com os santos ressuscitados ao estabelecer o seu reino está registrado em
Isaías 25: 6-8 que diz: "O SENHOR dos Exércitos dará neste monte a todos os povos um banquete de coisas gordurosas, uma festa com vinhos velhos, pratos gordurosos com tutanos e vinhos velhos bem clarificados. Destruirá neste monte a coberta que envolve todos os povos e o véu que está posto sobre todas as nações. Tragará a morte para sempre, e, assim, enxugará o SENHOR Deus as lágrimas de todos os rostos, e tirará de toda a terra o opróbrio do seu povo, porque o SENHOR falou."

Essas são evidencias gloriosas que anulam totalmente qualquer proposta que possa levar ao consentimento da igreja de Cristo a necessidade da restauração do templo de Jerusalém terrena, com a volta do sacerdócio levítico para uma pseuda esperança de um governo de Cristo em nossos dias ou em um futuro qualquer!

Em João 18:36, Jesus diz: “Meu reino não é deste mundo”. Nesta simples declaração, Jesus esclarece por que ele defende o pagamento de impostos a César em Mateus 22:21. Jesus nunca pretendeu ser o rei terreno em Israel. Quando Jesus declara que Seu reino não é deste mundo, Jesus está dizendo que Seu reino está no céu. Em Atos 7:56, Estêvão olha para o céu e vê Jesus à direita do Pai. Atos 7: 48-49 declara: “O Altíssimo não vive em casas feitas por homens. Como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra é o escabelo de meus pés..." O fato de que Jesus governa à destra do Pai coloca o trono do reino messiânico no céu. O Messias governa a terra de um trono celestial e não terrestre. Pedro deixa claro esse fato em Atos 2: 22-36. O fato de que Jesus governa o mundo à destra de Deus no céu também é indicado em Hebreus 8: 1 e Apocalipse 3:21. É por isso que Jesus chama o Seu reino de o reino dos céus através dos Evangelhos. O reino dos céus é o reino messiânico.

Evidências históricas interessantes sugerindo que Jesus ensinou a Seus discípulos que o reino messiânico deveria estar no céu são encontradas nos comentários de Hegésipo (Historiador do século ll) sobre os Atos da Igreja escritos entre os anos 165-175. Segundo Hegésipo, os netos de Judas, irmão de Jesus, foram levados a César Domiciano, onde lhes foi perguntado qual era a natureza de Cristo e de Seu reino e quando e onde deveria aparecer. Ao que estes homens responderam "que não era deste mundo, nem da terra, mas pertencentes à esfera do céu e dos anjos.

O reino de Jesus, o reino de Deus ou o reino dos céus, é um reino espiritual centrado no céu e é por isso que é chamado o reino dos céus. Embora este reino esteja centrado no céu com o trono de Deus, também está presente na terra no meio dos santos. O fato de que o reino de Deus ou o reino dos céus também está presente na terra na presença dos santos é explicitamente indicado em Lucas 17: 20-21: “Uma vez, ao ser perguntado pelos fariseus quando o reino de Deus viria Jesus respondeu: A vinda do reino de Deus não é algo que possa ser observado, nem as pessoas dirão: 'Aqui está', ou 'Ali está', porque o reino de Deus está em seu meio”. O reino de Deus está presente no meio dos santos, estejam eles no céu após 70 d.C ou ainda vivendo na terra. Em outras palavras, os santos no céu e na terra como um todo coletivo são o reino de Deus. Observe que Lucas 17: 20-21 diz que o reino de Jesus “não é algo que possa ser observado, nem as pessoas dirão: 'Aqui está' ou 'Ali está” Lucas 17: 20-21 claramente Dissipa a ideia de que o Reino Messiânico deveria ser um reino visível em que Jesus reinaria corporativamente na Terra em um reino físico centrado em Jerusalém com o terceiro templo erguido. Pelo contrário, o reino messiânico é um reino espiritual presente com os santos, quer residam na terra ou no céu após 70 d.C. 

Esse é o reino de Ungido de Deus que governa terra é céu, Espírito porém real. Infelizmente por mais que os textos nos esclareça totalmente essa questão da natureza do Reino de Cristo, ainda há uma ânsia exacerbada  pela vinda corpórea de Cristo para um reinado que é totalmente espiritual. Impressionante como a ignorância nos faz refém!

Soli Deo Glória  

Nenhum comentário:

Seguir por e-mail